Recomeçar -Marcelo Aguiar

Quando o último dia do ano chega, é inevitável que não nos lembremos de tudo aquilo que prometemos realizar, e que por fim, não realizamos. Percebemos que, o ano acabou e com ele, mais uma oportunidade! 

Ao mesmo tempo e mesmo em meio a frustrações de metas não alcançadas, parece que uma esperança, em pequenas ou grandes proporções, começa a brotar em nosso coração. Este sentimento nos faz sentir, como se soubéssemos, com certeza, que neste novo ano, ‘as coisas vão dar certo –  desta vez, vai funcionar!’.

Que assim seja!

Estamos no terceiro dia do ano, e parte da intenção desta breve reflexão, é de nos ajudar a estarmos prontos a reiniciar, ou continuar nossos projetos de vida, por isto, nossa postagem de hoje, serve como um incentivo à você que deseja aproveitar este sentimento de esperança que está em seu coração. Nas palavras de Marcelo Aguiar, você encontrar consolo e apoio para que, em 2014, você esteja pronto para RECOMEÇAR!

Uma ótima leitura e um bom ‘recomeço’!

Recomeçar

Tão logo o fogo deixa de arder na floresta, pequenos brotos verdes começam a aparecer, anunciando que a vida vai reagir. No dia seguinte ao vendaval, o sol brilha sobre a terra, enxugando-lhe a superfície e devolvendo tudo à normalidade. A aranha conserta quantas vezes for preciso a teia danificada. O menino aprendendo a andar se levanta após os sucessivos fracassos. Toda a criação ensina-nos esta importante e fundamental lição: recomeçar.

A Bíblia está cheia de recomeços maravilhosos. Noé e sua família saem da arca para repovoar a terra; Jó tem novos filhos e reconstrói sua casa; Neemias torna a erguer os muros de Jerusalém; Jesus diz ao envergonhado Pedro que apascente suas ovelhas. Ainda hoje, nos momentos difíceis, o Senhor nos estende o braço e convida-nos a recomeçar.

Às vezes pensamos que é muito tarde, ou que é difícil demais. Satanás poderá afirmar-nos que nosso pecado é tão grande que não tem perdão, que nosso erro é tão grave que não tem conserto. Mas, se preferirmos escutar a voz de Deus, ouviremos dele: “Tente outra vez, eu quero ver você vencer”.

Quando o grande incêndio de Chicago destruiu o templo da igreja de D. L. Moody, as pessoas puderam vê-lo mover-se entre os bombeiros e os destroços ainda fumegantes. Estava distribuindo convites para a próxima reunião, em um local provisório. Enquanto a maioria ainda lamentava a tragédia, Moody preparava o recomeço.

Penso que Deus é especialista em recomeços. Na hora da dor, frustração e derrota, podemos considerar muitas coisas como casos perdidos. Para o Senhor, entretanto, cada dia que nasce é a oportunidade de um reinício. Aceitemos o seu desafio e convite. Ousemos recomeçar.

Oração

Deus, eu tomo hoje a decisão de renovar o meu compromisso com o Senhor. Quero fazer, verdadeiramente, a tua vontade. Ajuda-me nesse propósito. Amém.

 —

Autor: Marcelo Aguiar

Fonte: Aos Pés do Mestre

 

Compartilhar

O Senhor é o Meu Pastor – Marcelo Aguiar (última parte)

Olá amigos leitores, como prometido, hoje estamos divulgando a segunda parte do artigo divulgado na quarta-feira (18).

Na postagem anterior, os seguintes subtítulos foram apresentados:

(Salmo 23 – Breve introdução)

O SENHOR É O MEU PASTOR: ELE ME SUSTENTA

O SENHOR É O MEU PASTOR: ELE ME GUIA

Hoje, seguimos com as sábias palavras do pastor Marcelo Aguiar, até o final do artigo.

Não deixe de ler a sua primeira parte, clique nos subtítulos acima, e seja edificado por completo!

Que o Senhor fale ao seu coração!

O SENHOR É O MEU PASTOR: ELE ME PROTEGE

Pobre ovelha: é, realmente, um animal indefeso. Os ursos, lobos, leões e outros animais podem abater um cordeiro com facilidade, já que ele não tem velocidade para fugir nem dispõe de garras para se defender. Uma ovelha pode ser furtada por ladrões, picada por serpentes ou atacada por chacais. Por isso, no que diz respeito à sua segurança, os rebanhos dependem completamente da vigilância e coragem de seu pastor.

Como pastor de ovelhas, Davi havia enfrentado ursos e leões a fim de proteger os animais que estavam sob os seus cuidados (1 Sm 17.34,35). Ele mantivera sempre ao alcance de sua mão um cajado (para içar as ovelhas caídas nos barrancos) e um bordão (para afugentar as feras e os ladrões). Ele sabia que, da mesma forma, o Senhor zelava por sua segurança. “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte”, escreveu, “não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam” (v. 4).

É melhor estar no vale da sombra da morte com Jesus do que nos picos do brilho da vida sem ele. É mais seguro atravessar um campo de batalha ao lado do Senhor do que se trancar numa fortaleza em sua ausência. Passamos por muitos vales escuros ao longo dos nossos anos. Morte, desemprego, enfermidade e decepção podem, realmente, nos assustar. Mas é então que nos lembramos de que, como um bom pastor, o Senhor nos protege. E nessa hora, o nosso coração se enche de paz.

Sempre que os problemas vierem e as ameaças se multiplicarem, lembre-se disso. A força não está em você, mas no Deus que caminha ao seu lado. Ele tem poder para guardar a sua vida e consolar a sua alma. Portanto, não dê lugar ao desespero. Deposite a sua fé em Cristo. Entregue-se aos cuidados do Pastor, e siga em frente corajosamente.

O SENHOR É O MEU PASTOR: ELE ME ACOLHE

Após uma temporada nos campos, chegam os meses mais frios do ano, e as ovelhas são levadas por seus pastores de volta aos currais. Perante os olhos dos seus inimigos, elas retornam à segurança do aprisco. Salteadores, leões e abutres contemplam a cena à distância. Eles pensam: “Perdemos a oportunidade! Agora elas estão fora de nosso alcance!” O zeloso pastor, que cuidou do rebanho em suas peregrinações pelos montes e vales, leva-o agora para a sua cidade. Recolhe-o à sua própria casa.

Os últimos versos do Salmo 23 referem-se a esse momento no qual as ovelhas encontram aconchego e cuidado na residência do seu pastor. “Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários”, escreveu Davi. “Unges-me a cabeça com óleo; o meu cálice transborda. Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do Senhor para todo o sempre.” (Vv. 5,6.)

Todo ser humano precisa de um refúgio, de um local no qual se sinta seguro. Ansiamos por um lugar que possamos chamar de “lar”. Todos os dias, quando o sol se põe, um impressionante espetáculo toma conta das grandes cidades. Milhares de pessoas – a pé, em ônibus ou nos seus automóveis – ganham as ruas e avenidas numa procissão barulhenta. O que toda essa multidão deseja? Simplesmente chegar em casa.

“Deus me levará para a sua casa”, Davi falou. “Ele tratará as minhas feridas com o bálsamo do seu Espírito, e alegrará o meu coração com o cálice da sua bondade. Ele preparará uma mesa para mim e saciará as necessidades

da minha alma.” Amém! Para aqueles que o buscam, o Senhor oferece uma maravilhosa acolhida. Ele nos abre as portas de sua igreja, e franqueia-nos as moradas do céu. Mais do que isso, porém, ele se torna a nossa própria morada. A casa do homem é o coração do Criador.

“Tu nos criastes para ti, e nossas almas só encontram descanso quando descansam em ti”, escreveu Agostinho. É triste ver uma pessoa que não tem uma casa para a qual voltar no final do dia. Contudo, ainda mais lamentável é saber que grande parte da humanidade não dispõe de um relacionamento íntimo com o Senhor, e não alimenta esperanças de ir para o seu lar eterno. Por que isso acontece? Porque essas pessoas se recusam a entregar o coração a Cristo.

Espero que você já tenha aberto as portas de seu coração para Jesus, convidando-o para entrar e se tornar o seu Salvador. Se você já fez isso, encontrará acolhida aqui e na eternidade. Caso ainda não tenha tomado essa decisão, chegou a hora de fazê-lo. “Na casa de meu Pai há muitas moradas”, disse Jesus (Jo 14.2). O Senhor deseja tê-lo para sempre em sua companhia. Para isso, ele enviou o seu Filho amado a fim de resgatá-lo e guiá-lo. Quem segue a Jesus habitará na casa do Senhor para todo o sempre. Ele falou: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” (Jo 14.6).

________________________________

Na Bíblia, Deus é chamado de Rei, de Rocha e de Escudo. Ele é apresentado como o Alfa e o Ômega, o Criador do universo, o Senhor dos senhores, o Primeiro e o Último. Contudo, é provável que o título mais belo tenha sido aquele cunhado por Davi, quando escreveu: “O Senhor é o meu Pastor”.

Deus, o nosso Pastor, nos sustenta, guia, protege e acolhe. Ele nos dá a certeza de que somos queridos e a garantia de que estamos seguros. Confere sentido à nossa existência e promete-nos um futuro de glória. Ele é um Pastor que conhece as suas ovelhas pelo nome, que se relaciona pessoalmente com cada uma delas, que se envolve na história e na vida daqueles que são seus. Ele é incomparável.

Às vezes, esquecemo-nos dessas verdades, e permitimos que a preocupação e o desespero tomem conta de nossos pensamentos. Ou então nos vemos em meio a problemas tão grandes – verdadeiros vales da sombra da morte – que duvidamos que exista uma saída. Nessas horas, vale a pena relembrar as verdades ensinadas pelo Salmo 23. É preciso declarar: “O Senhor é o meu pastor, nada me faltará”.

É possível que você esteja passando por um momento difícil em sua vida. Se for esse o caso, chegou a hora de olhar para cima. Não se esqueça de que existe um Pastor, e de que ele cuida das suas ovelhas. As carências, as incertezas e os perigos da vida podem fazer-nos vacilar. Entretanto, depositando no Senhor a nossa fé, seremos vitoriosos. Ele é a nossa Luz e a nossa Salvação. Ele é o nosso Pastor. Em sua presença encontramos refúgio, auxílio, direção e paz. Aleluia!

Autor: Marcelo Aguiar

Fonte: Salmos Vivos

Leia outras postagens…

Missão Betânia 50 Anos – Filme Oficial

Onde estava Deus quando precisei dele? (Nedra Dugan)

Se Deus é bom e poderoso, como coisas ruins acontecem? (vídeo)

Verdade Absoluta? (vídeo)

 

Compartilhar

O Senhor é o Meu Pastor – Marcelo Aguiar (Parte 1)

Muito se houve falar sobre o salmo 23. Pregações expositivas, crianças da Escola Dominical o decoram a fim de serem premiadas e algumas pessoas até o usam como uma espécie de “amuleto da sorte”, deixando a Bíblia aberta em um pedestal em sua casa ou estabelecimento…

Em fim, sabemos que, independente do fim que ele receba, se trata de um salmo curto, porém, de profundo valor! Em nossa postagem hoje, o pastor Marcelo Aguiar, com seu agradável e envolvente estilo de escrita, nos traz uma explanação sobre o salmo 23, que merece ser lida!

O artigo foi dividido em duas partes para, proporcionar ao leitor, acessibilidade à seu tempo e disposição. Vale a pena conferir!

Salmo 23

“O Senhor é o meu pastor; nada me faltará.

“Ele me faz repousar em pastos verdejantes.

Leva-me para junto das águas de descanso;

“refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas

da justiça por amor do seu nome.

“Ainda que eu ande pelo vale da sombra da

morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás

comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam.

“Preparas-me uma mesa na presença dos

meus adversários, unges-me a cabeça com óleo; o

meu cálice transborda.

“Bondade e misericórdia certamente me seguirão

todos os dias da minha vida; e habitarei na

Casa do Senhor para todo o sempre.”

 

Não é sem justiça que o Salmo 23 tem sido considerado, por muitas pessoas em diversas épocas, o mais belo de todos. Willian Taylor escreveu:

“Com a passagem dos séculos, este salmo ganhou para si mesmo um lugar supremo na literatura religiosa mundial. Todos quantos o leem encontram, na tranquila beleza de seus pensamentos, uma amplitude de profundo discernimento espiritual, que tanto satisfaz quanto toma conta de suas almas.”

Já para Derek Kidner, “a simplicidade deste salmo tem profundidade e força por trás dele. Sua paz não é uma fuga, e seu contentamento não é complacência. Há disposição para enfrentar as trevas e um ataque iminente, e seu clímax revela um amor que não acha satisfação em nenhum alvo material, mas somente no próprio Senhor”.

E Mathew Henry afirmou: “Muitos salmos de Davi estão cheios de lamentos, mas este está repleto de conforto. Suas expressões de deleite e confiança na grande bondade de Deus são maravilhosas. Este salmo tem sido cantado pelos cristãos com grande alegria e satisfação, e enquanto o mundo existir eles continuarão a cantá-lo”.

De fato, o Salmo 23 é, ao mesmo tempo, simples e profundo, falando tanto à nossa mente quanto ao nosso coração. Ainda que passemos por lutas e provas, ou que enfrentemos momentos de decepção e de dor, ele nos infunde coragem mediante uma maravilhosa certeza: a de que o Senhor é o nosso pastor, e nada nos faltará.

 O SENHOR É O MEU PASTOR: ELE ME SUSTENTA

 A ovelha é um animal voraz, mas frágil. Precisa de ajuda para saciar sua fome e sua sede. Incapaz de diferenciar o pasto nutritivo das ervas venenosas, uma ovelha pode ingerir inadvertidamente plantas que a farão adoecer ou até morrer. Isso a torna vulnerável. Além disso, esses animais não bebem em qualquer poço. Costumam recusar as águas revoltas e turvas, dando preferência aos cursos calmos e límpidos. Isso os torna dependentes.

Como havia sido pastor de ovelhas na sua juventude, Davi se lembrava bem dos cuidados exigidos por um rebanho tão vulnerável quanto dependente. Muitas vezes ele havia caminhado na frente de suas ovelhas, verificando a qualidade do pasto e arrancando as ervas daninhas para evitar intoxicações. Frequentemente levara os animais a águas limpas e calmas, nas quais eles haviam saciado sua sede com tranquilidade. “Assim também é Deus”, escreveu. “Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso.” (V. 2.)

Nós, seres humanos, somos ainda mais carentes do que as ovelhas. Assim como elas, necessitamos de água e alimento. No entanto, a nossa lista de necessidades é bem maior. Precisamos de saúde, paz, companhia, consolo, segurança, dignidade, propósito, amor, salvação e uma infinidade de outras coisas. Mas uma vez que o Senhor é o nosso pastor, podemos afirmar com ousadia que nada nos faltará. Deus tem provisões para o dia de hoje e para amanhã também. No seu bom tesouro, estão todas as bênçãos de que necessitamos.

Uma das razões pelas quais amo a Bíblia é que ela é o livro do “tudo ou nada”. Você já reparou que não é comum encontrarmos a palavra “quase” nas Escrituras? Davi não disse: “O Senhor é o meu pastor, quase nada me faltará”. O que ele declarou foi: “Nada me faltará”! Tampouco Paulo escreveu: “Posso quase tudo naquele que me fortalece”. Não, nada disso! O apóstolo afirmou: “Tudo posso naquele que me fortalece” (Fp 4.13). Tudo e nada são as palavras preferidas de Deus. Ele é o Deus da perfeição e da completude. Por isso, eu lhe pergunto: Neste exato momento, do que é que você precisa? Deus afirma que, como um bom pastor, sabe quais são as suas necessidades, e está preparado para supri-las. Você pode depender do Senhor e confiar nele.

O SENHOR É O MEU PASTOR: ELE ME GUIA

Certa vez, quando eu era criança, encontrei um gatinho na rua, e levei-o para casa na esperança de que minha mãe me deixasse ficar com ele. Entretanto, não foi o que aconteceu.

“Ele não pode ficar aqui”, ela disse. “Você precisa levá-lo embora. E deixe-o num lugar bem distante, senão ele vai encontrar o caminho de casa e retornar.”

Segui as orientações de minha mãe, e fui o mais longe que pude. Após caminhar alguns quilômetros, finalmente encontrei um terreno baldio. Deixei o gatinho lá e saí correndo. Contudo, para minha surpresa, na manhã seguinte, sabem quem estava à porta me esperando? Ele – o gato! Fiquei admirado com o senso de direção do bichano. Aquilo é que era orientação!

Infelizmente, os cordeiros não possuem o mesmo senso de direção dos gatos. Um pombo-correio sempre encontra o caminho de casa, mas o mesmo não acontece com as ovelhas. Elas são animais desorientados. Não conseguem encontrar, sozinhas, o seu aprisco. Perdem-se com facilidade. Precisam de alguém que as guie por caminhos bons e seguros. Não é este, precisamente, o nosso caso?

Em um monumento da Flórida, alguém registrou o seguinte pensamento: “Venho aqui para encontrar- me a mim mesmo. É tão fácil a gente se perder no mundo!” Eis aí uma grande verdade. Assim como as trilhas da Palestina levavam a lugares diferentes (algumas iam dar em precipícios, enquanto que outras, em pastos verdejantes), deparamo-nos com muitas encruzilhadas em nossa vida. Qual é o melhor caminho? Que decisão tomar? Que rumo seguir? O Senhor nos aponta a estrada boa e certa.

Se você seguir a Jesus, estará sempre na direção correta. Irá andar “pelas veredas da justiça” (v. 3). Nem sempre essas veredas serão lugares agradáveis. Em alguns trechos, elas estarão cheias de pedras e espinhos, farão curvas acentuadas ou se transformarão em íngremes subidas.

Mas o importante é que o Salvador estará com você. Como um bom pastor, ele o guiará em segurança. Levará você a um lugar de paz.

Continua…

Autor: Marcelo Aguiar

Fonte: Salmos Vivos

Compartilhar

18
set 2013
POSTADO POR
POSTADO EM Dicas de Livros Geral
COMENTÁRIOS 0 Comments