Momentos Especiais no II Café Com Livros de 2012

Na manhã da última terça-feira (04), a Editora Betânia recebeu com muita alegria, a presença dos convidados do II Café Com Livros de 2012.

Pastores e líderes de várias denominações estiveram presentes prestigiando o nosso evento. A abertura contou com a saudação de nosso presidente Carlos R. Paiva, na sequência tivemos um agradável momento de louvor seguido pela tão esperada ministração do pastor George Foster.

Pastor George Foster é casado com Dolly, e juntos, trabalharam por 25 anos com a Missão Evangélica Betânia no Brasil (inclusive como diretor da Editora Betânia). Atualmente é pastor internacional dos missionários de Bethany Fellowship Missions.

George e Dolly estão em visita ao Brasil desde o dia 25 de julho e, a partir de então, têm viajado por nosso país ministrando a Palavra, divulgando seus livros, e em especial, o seu novo trabalho; “De Todo o Meu Coração”. Este certamente tem sido um tempo muito corrido, porém, abençoador tanto para o casal, quanto para todas as igrejas que os tem recebido.

Em determinados momentos de sua ministração, Foster com amor, sabedoria e suavidade citou trechos de seu novo livro, e nestes, os ouvintes puderam enxergar a inspiração de Deus!

Muitas igrejas de nosso país já foram abençoadas com a visita do casal Foster, infelizmente, nem todos os que gostariam conseguiram encontrá-los, porém, as oportunidades ainda estão de pé! Algumas igrejas de Belo horizonte, ainda os receberão, por isso, se você deseja rever o pastor George R. Foster e sua esposa Dolly, fique atento à sua agenda e escolha o dia e local em que irá prestigiá-los!

  • 07/09 – Comunidade Evangélica Restaurando Vidas (C.E.R.V) – 19h30; 
  • 08/09 – Missão Evangélica Vôo da Águia (M. E. V. A) – 16h00;
  • 09/09 – Igreja Batista Peniel – 10h00;
  • 09/09 – Igreja Batista da Lagoinha – 18h00;
  • 12/09 – Igreja Betânia de Venda Nova – 19h30.

Conheça um Pouco Mais – Novo Livro “De Todo o Meu Coração”

Este livro é um convite a todos que desejam aprofundar sua vida espiritual. O tema central desta obra é a consagração. As orientações são extraídas da própria Bíblia – a Palavra de Deus – e das experiências vividas pelo autor. O objetivo é levar cada leitor a atingir um nível mais elevado na vida cristã, onde a expressão minha vida com Deus possa ser substituída por minha vida para Deus.

É um chamado aos que não estão contentes com uma vida cristã mediana, que produz poucos frutos, mas querem experimentar uma mudança radical, plena, que trará um vigor renovado à sua vida com Deus, uma dedicação completa ao Senhor.

Quer aceitar o convite? Abra seu coração, ouça a voz de Deus. Reconheça que depende totalmente da graça divina e do seu poder para transformá-lo. Deixe o Senhor usar você como instrumento para abençoar outras pessoas. Coloque-se inteiramente nas mãos dele e ore diariamente:

Ajuda-me, Senhor, a tornar meu coração inteiramente teu!

Fique Atento Ao Próximo Café Com Livros

A sala de conferências da Editora Betânia foi completamente lotada neste último dia 04 (terça-feira). O II Café Com Livros teve excelente aceitação entre os convidados, e o nosso objetivo, é continuar promovendo este evento, pensando nisto, uma data já tem sido planejada para a realização de sua 3ª edição; o dia 6 de novembro deste ano(sujeito a alteração).

Nosso convite continua estendido, reprograme a sua agenda e venha fazer parte deste grupo e ser edificado conosco!

Mais sobre o pastor George Foster

Confira o sumário e leia o 1º capítulo do livro De Todo o Meu Coração clicando aqui;

Conheça outros livros seus publicados pela Editora Betânia;

Leia alguns de seus artigos em nosso Blog clicando nos links abaixo:

Confira algumas fotos do evento:

[nggallery id=2]

Compartilhar

06
set 2012
POSTADO POR
POSTADO EM Geral
COMENTÁRIOS 0 Comments
TAGS

Está Chegando o DIA!

Será realizado na próxima terça-feira, dia 04 de setembro, o II Café Com Livros de 2012.

O evento vai oferecer à pastores e líderes a oportunidade de serem ministrados pelo pastor George Foster além de desfrutarem de um agradável momento de confraternização!

O I Café com Livros deste ano foi realizado no dia 31 de maio, e teve a participação especial do pastor Nélson Gouvêa lançando seu livro “Nossos Filhos Nossos Discípulos”. Como no encontro anterior, acreditamos que este evento também será especial, e como parte das programações que o tornarão assim, será realizado o lançamento do livro “De Todo o Meu Coração” por seu próprio escritor, o pastor George Foster!

Pastor George Foster é casado com Dolly, e juntos, trabalharam por 25 anos com a Missão Evangélica Betânia no Brasil. Atualmente é pastor internacional dos missionários de Bethany Fellowship Missions.

Além deste lançamento, pastor George possui vários outros títulos publicados pela Editora Betânia, entre estes; O Poder Restaurador do Perdão; Paz Interior em Tempos de Crise; À Procura de um Grande Amor; etc.

Participe Deste Evento

Se você é pastor ou líder, não perca esta oportunidade! Venha não apenas prestigiar o nosso evento, mas, se tornar nosso parceiro de ministério! Faça novos amigos, contatos, compre livros com descontos especiais (apenas na ocasião), e em fim, invista um pouco de seu tempo em sua própria vida!

O Café com livros será iniciado as 9h00, e além da programação já citada, haverá um breve período de louvor, além de um delicioso café da manhã!

Notifique Sua Participação

Se ao ler esta postagem, você se interessou em participar, ou mesmo, em indicar o evento a alguém, é muito importante para a equipe organizadora, receber a confirmação destas presenças. Assim sendo, pedimos que entre em contato conosco pelas opções disponibilizadas abaixo.

Telefone: (31) 3408 5300

e-mail: rafaelpossan@editorabetania.com.br

Facebook: http://www.facebook.com/editorabetania

 

Compartilhar

30
ago 2012
POSTADO POR
POSTADO EM Geral
COMENTÁRIOS 0 Comments

PERIGO! ABISMO À FRENTE!

Aí está uma realidade que pode prejudicar e comprometer a vida de todos os que estão envolvidos no ministério; a preocupação com o desempenho. Infelizmente pouco se faz para evitar o perigo que este sentimento oferece, e isto, acaba por gerar uma outra realidade agravante; a de líderes cansados, esgotados, frustrados! Logo abaixo, através das explicações da escritora Joyce Strong, conheceremos um pouco mais sobre os perigos oferecidos por esta preocupação.

A PREOCUPAÇÃO COM O DESEMPENHO

O cordeirinho se esforçou muito para ser o mais querido. As pernas lhe doíam de tanto que tinha atravessado, saltitante, para lá e para cá o riozinho da campina, a fim de desenvolver pernas  fortes como as do pai.

Todos os dias olhava para o pai à procura de aprovação. Será que algum dia teria mesmo a certeza de ser amado?

-

Está ingressando na igreja um número cada vez maior de pessoas que sofreram abusos e rejeição, sentindo que jamais satisfizeram as expectativas daqueles de quem buscavam o amor quando crianças. Por mais que fizessem, eram humilhadas. Viram na igreja um porto seguro, um lugar em que talvez pudessem, finalmente, receber aprovação e sentir seu valor próprio. Estão ansiosas por agradar.

Se não descobrem de pronto que Deus as aceita como um todo, simplesmente graças ao Calvário, e que ele só quer o amor delas, começam os problemas. Serão atraídas pelos “grandes realizadores” e procurarão imitá-los e agradá-los. Parece uma boa forma de serem aceitas. Mas logo se sentirão tão vazias quanto antes. É que os seus velhos estratagemas para se sentirem amadas simplesmente se revestiram de uma roupagem religiosa.

As raízes da preocupação com o desempenho religioso acham-se na falsa idéia de que temos de nos esforçar para conquistar o amor de Deus e para ser justos. É a insistência de que receber aprovação é tudo na vida, e que dela faz parte uma lista infinita de boas obras.

Trata-se de legalismo e obras em nova roupagem.

“Meu cordeiro, vejo-o desviar o olhar, e ouço-o declarar que não é capaz de se esforçar mais, que não consegue correr depressa como a corça, Em seguida, abaixa a cabeça, envergonhado, e no sofrimento continua enterrado nunca com segurança, nunca sentindo a esperança.”

 O garotinho engolia o medo enquanto seu pai o empurrava para a plataforma.

“Vai, George, todo o mundo quer ouvir você cantar! Faça isso para Jesus e pra mim”, sussurrava o jovem pastor, cheio de energia, ao ouvido do filho. “Mostre pra eles como você é bom! Depois do culto a gente toma um sorvete. Que tal?”

“Palmas pro garoto, pessoal!”

Irromperam aplausos em todo o auditório, e as pessoas se inclinavam para ver melhor o filho do pastor, um garoto de seis anos, subindo numa cadeira e postando-se ao microfone.

George tentava enxergar só casquinhas de sorvete à sua frente, em vez de todos aqueles rostos. De um jeito ou de outro, conseguiu “achar” a voz quando o piano começou a tocar a música que o pai lhe havia ensinado. Este, por sua vez, não disfarçava o imenso orgulho que sentia. E todos adoraram.

Quando o culto chegou ao fim, só George se lembrava do sorvete. O pai estava ocupado, traçando planos para o culto seguinte… e escolhendo a próxima música que George iria cantar em seguida.

Vinte anos mais tarde, George também está no ministério e tem seus próprios sonhos. É um homem com a compulsão para o trabalho; raramente descansa. Até mesmo as férias da família de algum modo se transformam em preleções por onde quer que eles passem.

Sua mulher, Elizabeth, sempre quisera ser esposa de pastor, e está mesmo tentando corresponder a tudo que George e a igreja esperam dela. Mas não tem tido sucesso.

Apesar daquela dor de cabeça que está cada vez mais freqüente, ela prossegue. Dirige o coral, dá aulas na escola dominical, profere palestras em reuniões de senhoras, trabalha como voluntária na missão do centro da cidade e atende a telefonemas de pessoas com problemas – enquanto as tarefas da casa ficam por fazer e seu horário devocional com Deus não acha lugar na agenda.

Numa manhã de sol, George está em outro estado, participando de uma conferência sobre missões, e uma ambulância pára em frente à casa pastoral. Quem telefonou pedindo socorro foi Katie, a melhor amiga de Elizabeth.

Elizabeth não consegue lembrar o próprio nome.

“Por mais fraco que você esteja, eu sempre posso fortalecê-lo. Por mais cansado que se sinta,  posso ajudá-lo a prosseguir… Ó meu precioso cordeirinho, volte para o alto o olhar Só por ser quem você é, tem todo o meu amor…”

Sem querer, muitos de nós que estamos no ministério passamos aos familiares, bem como aos novos crentes da igreja, a mania da preocupação com o desempenho. Em vez de tentar agradar a pais exigentes, buscando a aprovação deles, trabalhamos para agradar a Deus e ao corpo de Cristo e deles obter aceitação. A idéia é que, se conseguir uma atuação que agrade aqueles a quem servimos ou admiramos, teremos valor. Vamos trabalhar muito, então, sobretudo quando pudermos ser vistos.

A tarefa que realizamos é nobre: ganhar almas, organizar grandes ministérios para ajudar os necessitados, dedicando cada hora do dia “ao ministério” (muitas vezes em detrimento de nossa hora devocional, da saúde e da família). Contudo a meta que nos motiva (ser aprovado, ser certinho) não é a certa.

Se para obter aprovação precisamos de uma fachada, criaremos uma porque a aprovação é tudo que importa. Entretanto, depois de algum tempo, perdemos de vista quem somos! Só não podemos tirar a máscara. Tudo estaria perdido se soubessem como nos sentimos vazios por dentro. Com medo da rejeição e impulsionados pelo orgulho cada vez maior (em tudo o que “realizamos” pelo Reino) vamos mantendo a máscara. Enquanto isso, começamos a nos ressentir

de Deus, que, no nosso engano, se nos afigura um tremendo feitor.

“Na luta pela perfeição, tantas vezes você cai, Mas você sabia que o meu amor continuaria Ainda que você nunca mudasse em nada…”

Infelizmente, ganhamos os aplausos das pessoas mesmo reconhecendo não sermos o que projetamos. Todo o mundo sabe que a hipocrisia é como um mau cheiro, mas ser elogiado enquanto se exala o mau odor de fato confunde a alma.

Lá no fundo, onde o Espírito Santo fez morada graças à salvação, mais cedo ou mais tarde bradaremos para que o trem pare e possamos descer. Entretanto, quanto mais forte for o espírito religioso e a necessidade de garantir a admiração por meio de um bom desempenho, tanto mais difícil será parar. Esse espírito cresce por si só, e é ainda mais estimulado pelos elogios.

É quase impossível abrir mão do poder do controle que as nossas realizações nos conferem. Como seria possível enfrentar a vida sem a aprovação e a admiração dos outros? Que seria de nós? A ironia dessa situação é que nunca conseguimos alcançar a perfeição, e nunca nos sentimos de todo confiantes. Por maior que seja nosso fervor religioso, nunca nos livramos dos velhos problemas, como rancor, medo de rejeição, espírito crítico, incapacidade de perdoar, baixa auto-estima e confusão. Fracassamos e nos sentimos constantemente decepcionando a Deus. Nossa atitude diante disso costuma ser: Esforce-se mais. Não desista. Tenha um desempenho melhor da próxima vez.

“E me dói quando o vejo deixar Que seu medo e orgulho o afastem desse jeito. Não avalie minha graça por aquilo que você realizou, Mas pelas promessas que lhe tenho feito…” 

Na questão do desempenho, muitas vezes os adolescentes crentes, sem o saber, têm melhor percepção das coisas do que nós, adultos. Em geral, a rebelião deles na igreja é apenas uma maneira de dizer:

“Não quero bancar o bonzinho. É muito difícil vocês me amarem pelo que eu sou, e não por todas as coisas perfeitas que você querem que eu faça? Como vou acreditar que Deus tem um amor incondicional por mim se vocês mesmos não têm?”

Muitos precisam arrepender-se por ter acreditado nesse falso conceito de que podemos conquistar a aprovação de Deus, de que nosso valor depende daquilo que realizamos e do louvor que recebemos. Também precisamos perdoar aos pais e aos líderes que nos fizeram crer nessa mentira. Caso contrário, das duas, uma: ou cometeremos um pecado chocante que porá fim à farsa, ou teremos um esgotamento emocional ou físico quando o peso da nossa fachada falsa se tornar insuportável.

“Embora os seus erros o amarrem, Deixe-os para trás. Não permita que eles o separem de mim. Deixe que meus braços o amparem Que meu amor o abrace,  Abra seu coração e receba…”

Cordeirinhos, Deus nos ama! Podemos descansar porque, no Calvário, o Pastor pagou todo o preço necessário para que ele nos aceite. O Senhor não se interessa pelas realizações estupendas que possamos apresentar, nem com quem se impressiona conosco. Tudo o que ele deseja é que ansiemos por conhecê-lo mais de perto, por amá-lo sem reservas e por dar ouvidos à sua voz.

Ele nos concederá paz e segurança, ainda que estejamos em perigo.

O assunto abordado nesta postagem, foi compratilhado do livro Líderes à Beira do Abismo 

Sobre o Livro

Nesta obra, a autora descorre um tema que pode ser resumido com o seguinte alerta: PERIGO! ABISMO À FRENTE! E no decorrer do mesmo, ela nos mostra que o fato de pertencermos ao reino de Deus não nos torna imunes às paixões e fraquezas, e não raro desobedecemos à voz do nosso Grande pastor. Como cordeiros que se afastam da proteção do pastor, aventuramo-nos por caminhos perigosos que podem nos levar à beira do precipício.

Quem está envolvido na obra de Deus encontra-se em posição ainda mais delicada. As pressões e responsabilidades do ministério aliadas a falhas pessoais, muitas vezes deixam o líder caminhando literalmente à beira do abismo, onde qualquer passo pode ser fatal…

Todo obreiro cristão, em uma ocasião ou outra, já se viu em situação semelhante. Com o maior carinho e respeito pela liderança evangélica, a autora deste livro  mostra  como  evitar  os  perigos,  como  ajudar a- queles que estão  correndo  os mesmos riscos e como ser útil na restauração dos que já  foram  feridos.

Leitura imprescindível para todo líder,obreiro, missionário, e para quem está se preparando para o ministério.

Compartilhar

24
ago 2012
POSTADO POR
POSTADO EM Geral
COMENTÁRIOS 0 Comments